Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

descobrelc

descobrelc

  • Cultura   Música   Lisboa    Porto   Grátis   Agenda  Setembro

  • As 10 melhores cidades do mundo para viver

    Se está a pensar ir viver para fora de Portugal, aqui fica algumas sugestões para onde pode ir. 

     

     

    Ranking tem em conta áreas verdes, bens culturais, poluição e expansão urbana. Nenhuma portuguesa consta da lista



    Hong Kong


    Veja a lista, por ordem:

    Hong Kong

    Tem quatro avaliações muito perto do valor máximo e é, por isso, a melhor cidade para viver, segundo este ranking. Porquê? Porque há uma coerência entre a superfície da região metropolitana e a população total, que ultrapassa os sete milhões. Depois, também a rede de transportes públicos, a quantidade de espaços verdes e os bens naturais também contribuíram para este lugar de destaque.

    Amesterdão

    Os bens naturais da capital holandesa, em particular o rio Amstel, dão a Amsterdão um belo segundo lugar. Com uma boa rede de transportes e uma rede de ciclovias que abrange toda a cidade, Amsterdão tem ainda outro ponto forte: o aeroporto da cidade é o quarto terminal mais importante da Europa, operando com mais de 100 empresas de aviação. De Amsterdão para o mundo: dali podemos viajar para 200 destinos.

    Osaka

    Esta cidade japonesa permanece na mesma posição em relação ao ranking anterior. É a terceira cidade com mais população do país, atrás de Yokohama e da capital Tóqui, que aparece em décimo lugar nesta lista.

    Paris

    Os jardins e parques de Paris são, em muito, responsáveis por este quarto lugar no ranking. Parque de la Villete, de Buttes Chaumont e Montsouris, os jardins do Trocadero e de Luxemburgo, e bosques de Boulogne e Vincennes são apenas alguns exemplos. A extensa rede de transportes públicos e os três aeroportos da cidade (Charles de Gaulle, Orly e Beouvals), também foram avaliados. E bens culturais não faltam.

    Sydney

    A Ópera de Sydney é um dos edifícios de espectáculo mais marcantes em todo o mundo e é, também, um dos símbolos da Austrália. A área metropolitana é rodeada de parques e as praias são outra das atrações desta cidade multicultural.

    Estocolmo

    Apesar da boa avaliação que conseguiu, dados os seus bens naturais, culturais, acessibilidades e em termos de poluição, a verdade é que esta cidade sueca caiu duas posições, ficando agora em sexto lugar. Mas nada lhe tira a imagem de uma das cidades mais bonitas da Europa.

    Berlim

    Esta é a cidade com a melhor avaliação no que toca a bens culturais.

    Muro de Berlim, Portão de Edimburgo, o Reichstag, que funciona como sede do parlamento, e a praça Alexanderplatz, bem que contribuíram para a elevada pontuação.

    Toronto

    Já ocupou a primeira posição, mas desta vez ficou em oitavo. O que falha é que a extensão das áreas urbanas tenha aumentado, sem que haja uma rede de transportes públicos que acompanhe essa evolução. Depois, há um incentivo ao uso de automóveis particulares.

    Munique

    O Parque Olímpico, Jardim Inglês e o Parque Hofgarten deram a esta cidade uma boa nota no item das áreas verdes. E é uma das cidades com maios qualidade de vida na Alemanha.

    Tóquio

    Marca pontos em termos de acessibilidades, mas peca em áreas verdes e bens naturais. Daí que tenha ficado no último lugar. Mas mesmo assim, é das melhores para viver, segundo o ranking da «The Economist».



    iol.pt