Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

descobrelc

descobrelc

  • Cultura   Música   Lisboa    Porto   Grátis   Agenda  Setembro

  • Hoje, Japan Weekend em Lisboa... descubra a cultura popular japonesa

    Dias 23 e 24 de Outubro das 10h00 às 21H00. A não perder!

     

    https://1.bp.blogspot.com/_ZedoPcI5fak/ST_bBMZ2VNI/AAAAAAAAALg/nUuj6MfgVfk/s320/Aspas.jpg

    Depois de conquistar Espanha, com edições em Madrid e Barcelona, o Japan Weekend chega agora a Lisboa. 

    Neste evento, dedicado ao mundo da cultura popular japonesa e a todos os aspectos que a rodeiam, os visitantes poderão participar nos habituais concursos de cosplay e entrar no universo manga e anime. Tudo acompanhado por torneios de videojogos, super-heróis, tecnologia e cinema. As raízes da cultura popular japonesa e as suas tradições não serão esquecidas.

     

    Este promete ser um fim de semana que com muitos concursos, torneios, jogos, demonstrações e workshops. A música terá também o seu lugar com a sessão de autógrafos de HITT, conhecido pelo seu visual irreverente e pelo seu estilo "piano rock", e com o concerto dos ensemble *Memory Card*, grupo de músicos portugueses com formação em conservatório que tocam bandas sonoras de videojogos.

    O evento contará ainda com a presença de Bárbara Lourenço, atriz de dobragens e desenhadora, e Jasone, cosplayer espanhola e representante no seu país na Yamato Cosplay Cup de 2010.

     

    saber mais :

     

     

     

    Descobrir Portugal .

     

     

    Depois de algum tempo sem actualizações, este blog vai voltar ao activo com actualizações semanais.

    O objectivo é dar a descobrir Portugal mas não só.  Vamos também dar a conhecer as melhores promoções turísticas. E claro ficaremos atento ás sete maravilhas de Portugal.

    Também contamos com a vossa ajuda, criticas ideias e sugestões são sempre bem vindas.


    Berlengas um dos sítios mais bonitos de Portugal.

     

     

    O Arquipélago das Berlengas é situado a 16 km a oeste de Peniche. O arquipélago é um possante bloco granítico.

    Fazem parte desta ilha três pequenos ilhéus :

    A parte mais importante da ilha é chamada Berlenga e representa mais de 2/3 da superfície total da ilha. A outra parte é separada pela erosão maritima chama-se Ilha Velha.

     

    A ocupação humana da Berlenga Grande (única habitável)

     

    O Farol da Ilha.

     

     

         Construído em 1841, o Farol baptizado de "Duque de Bragança" é, sem duvida, de uma presença indispensável na ilha. Tal como qualquer outro farol, tem como função avisar os barcos que se encontrem na zona, de que ali existe terra, mais propriamente 3 ilhas: as Berlengas.
     

     

     

    Ficheiro:Belenga.JPG

     

    Fortaleza das Berlengas

     

    O forte de planta poligonal irregular (orgânica), apresenta uma edificação principal no terrapleno, com doze salas ou quartos onde funcionavam as dependências de serviço (Casa do Comando, Quartéis de Tropas, Armazéns, Cozinha e outros) e mais oito compartimentos inscritos no interior das muralhas. Um corredor sem iluminação dá acesso internamente aos vários pontos da estrutura.

     

     

     

    O Forte ou Fortaleza de S. João Batista.

         Para além da praia do Carreiro do Mosteiro, outro dos pontos de referência da ilha é o Forte S. João Batista, concluído em 1666 (sec. XVII), com 12 quartos principais e 8 na muralha, com serviço de Bar, Mini-Mercado, etc.

     

         Uma das vistas do espaço em forma de circulo ao ar livre, onde se podem tomar refeições (á esquerda), na área interior do Forte.

     

    COMO IR?!

     

    De Lisboa apanhar a A8 para Peniche, entrar no centro da cidade e seguir as indicações para o cais de embarque. Depois é só estacionar e apanhar o barco para a Berlenga. As carreiras apenas se fazem entre Maio e Setembro, existindo várias companhias a efectuar a travessia. Os preços rondam os 17 euros para viagem de ida e volta.

     

    fonte

     

     

    Cruzeiros às Berlengas



     Várias empresas realizam a travessia de barco entre Peniche e a ilha da Berlenga, com diferentes horários e programas:

    Viamar
    Travessa Nossa Senhora da Conceição, 29
    Tel.: 262.785.646 - Fax: 262.783.847
    Ida e volta no mesmo dia: adultos, 15 euros; crianças de 5 a 12 anos, 10 euros; até 5 anos, grátis.
    15 de Maio a 30 de Junho: partidas às 10 horas de Peniche e às 16.30 da Berlenga.
    1 de Julho a 31 de Agosto: partidas às 9.30, 11.30 e 17.30 de Peniche e às 10.30, 16.30 e 18.30 da Berlenga.
    1 a 15 de Setembro: partidas às 10 horas de Peniche e às 16.30 da Berlenga.

     

    fonte

     

     


     

     

    Fauna

    No tocante à fauna destacam-se a lagartixa-de-bocage e o sardão, esta última espécie ameaçada pela populações de gaivota, coelho-bravo e rato-preto. Existem várias espécies de aves, marinhas e não-marinhas, que nidificam neste ponto isolado do litoral, tais como:

    No mar, entretanto, é que se encontra a maior riqueza do arquipélago, de piscosidade ímpar na costa portuguesa.

     

     

     

    É no entanto a flor que mais contribui para as mais espéctaculares vistas naturais na ilha...

     

    E a flor que está em quase todo o lado...

     

    Existem no entanto outras plantas, algumas delas típicas da ilha. As próximas fotografias foram digitalzadas de um folheto do ICN / Programa Ambiente e são um pequeno exemplo disso mesmo.

    Lobularia marítima / Frankenia laevis / Tufo de Armenia berlengensis

     

    Echium Rosulatum / Thapsia villosa / Papoila / Malmequer-amarelo

     

    Silene / Armeria berlengensis e malmequer-amarelo / Anagallis monelli

     

     

     


     

     

    ONDE COMER?

     

    No carreiro do Mosteiro dispõe do único restaurante com esplanada. A especialidade é a caldeirada, deliciosa, com peixe fresco preparado por quem sabe. O peixe grelhado também se aconselha. As refeições rondam os 14 euros.

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     


     

     

     

     

     

     

    ONDE FICAR?!

     

    Existem três possibilidades de pernoitar na Berlenga: na zona de campismo, no Forte S. Julião Baptista ou no Restaurante Mar e Sol.

     

     

     

    saber mais

    http://ilhadasberlengas.no.sapo.pt/berlengas.html

    http://berlengas.no.sapo.pt/

     

     

    fotos

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

    Mais fotos

     

     

     

     

    links : http://pt.wikipedia.org/wiki/Berlengas

              http://berlengas.no.sapo.pt/

              http://ilhadasberlengas.no.sapo.pt

            http://ilhadasberlengas.no.sapo.pt/photogallery/fotos.html

     

     

     

    Viseu - O coração da Beira Alta

     

     

     Viseu

     

    Viseu é uma cidade portuguesa[1], capital do Distrito de Viseu, na região Centro e subregião de Dão-Lafões, com 47 250 habitantes[2] (68.000 no perímetro urbano).[carece de fontes?]

    É sede de um município com 507,10 km² de área[3], com 34 freguesias e 98 167 habitantes segundo os últimos dados do INE de 2006. O município é limitado a norte pelo município de Castro Daire, a nordeste por Vila Nova de Paiva, a leste por Sátão e Penalva do Castelo, a sueste por Mangualde e Nelas, a sul por Carregal do Sal, a sudoeste por Tondela, a oeste por Vouzela e a noroeste por São Pedro do Sul.

    Para além de sede de distrito e de concelho, Viseu é igualmente sede de Diocese e de Comarca. Alberga inúmeros serviços estatais.

    Segundo um estudo da DECO de 2007, Viseu é a melhor cidade, entre as 76 do estudo, para se viver em Portugal[4].

     

    INFORMAÇÃO GERAL

     

    Viseu tem sido apropriadamente chamada "Cidade do Verde Pinho", pois está rodeada de imensos pinheirais que parecem exercer a sua influência tranquila sobre a simpática e animada capital de distrito.

    Foi berço de um dos maiores artistas portugueses do século XVI: Grão Vasco (1475-1540), que dá hoje nome a um museu, um hotel e até uma marca de vinho. O museu, instalado no antigo paço episcopal, exibe algumas das suas obras-primas e quadros de outros pintores da época da escola de Viseu.

    Os visitantes podem ainda admirar a Porta do Soar de Cima, aberta na cerca afonsina do século XV, a graciosa fachada em estilo rococó da Igreja da Misericórdia, ou a catedral do século XVII, com as suas torres gémeas.

    A encantadora cidade antiga exibe um labirinto de ruelas onde ainda se podem descobrir janelas manuelinas, velhas oficinas de latoeiros e curiosas lojinhas baixas.

    Todas as terças-feiras, a cidade fervilha com o mercado, mas em Setembro a feira prolonga-se por todo o mês e atrai milhares de visitantes.

    Através do concelho, inúmeras aldeias pitorescas ainda conservam as suas casas com as características varandas em madeira, e belos solares erguem-se nas quintas.

    O artesanato inclui cestaria de verga e vime e renda de bilros.

    Viseu é conhecida pelos seus óptimos restaurantes, onde pratos tradicionais portugueses são servidos em grande variedade e abundância.

    Capital de Distrito, situada em plena Beira Alta, teve a sua origem numa povoação situada no cimo do monte onde se situa a Sé. Já durante a ocupação romana era a capital de um grande território.

    Viseu é o centro de amplo planalto entre o Caramulo e a Estrela, a Estrela que o distrito não atinge, cortado no Mondego. Saudável clima onde chegam os ares do mar para povoarem tudo de pinheiros. Há milho e centeio, pomares de macieiras, vinhos do Dão, macios e apalhetados, laranjais em Besteiros. Há mil aldeias quase todas à sombra de um campanário. Foram terras de fidalgos antigos que deixaram, quase sempre, os palácios abandonados.

    Localização

    GEOGRAFIA

    O Distrito de Viseu situa-se na Região Centro/Norte de Portugal, a sul do Rio Douro entre os Distritos da Guarda a oriente, Aveiro a ocidente e Coimbra a sul. Com 5.007 Km2 de superfície, abrange 24 concelhos e, tomando como referência a Sé de Viseu, compreende as seguintes coordenadas geográficas: latitude 40º 39' 40" N, longitude 07º 54' 42" W, altitude 450 metros.

    A parte norte e nordeste é atravessada pelas serras da Lapa, Leomil e Montemuro para Norte das quais se estende a bacia hidrográfica do rio Douro e seus afluentes. A área ocidental do distrito é dividida pelo rio Vouga, sobressaindo a norte as serras de S. Macário, Arada e Gralheira e a sul as serras das Talhada e Caramulo. A sul e sudeste localiza-se a bacia do rio Mondego e a do seu afluente rio Dão.

     

     

    Museus

    TURISMO

    Os seus monumentos o obras de arte são do maior interesse para o visitante. O Museu Grão Vasco, a Casa-Museu Almeida Moreira, a Sé Catedral, as suas variadíssimas e lindas igrejas, os seus palácios, magníficos exemplares da construção dos séculos XVI a XVIII e a Cava de Viriato, importante intricheiramento militar Romano, são visitas que se recomendam. ...

     

     


    Ver artigo principal: Museu Grão Vasco

    As pinturas de Vasco Fernandes e de outros artistas da escola de Viseu, são apreciadas pelo seu naturalismo e pelas paisagens de fundo. O tratamento da luz revela uma influência flamenga. No terceiro piso do museu são exibidas as obras-primas que outrora adornavam um retábulo da catedral.

     

    Casa Museu Almeida Moreira
    Ver artigo principal: Casa Museu Almeida Moreira

    O museu está instalado na casa que foi residência do capitão Francisco António de Almeida Moreira, a qual, com o recheio constituído por biblioteca e peças várias, pinturas, mobiliário, porcelanas e escultura, doou para museu-biblioteca patente ao público.

     


     

     Locais de Interesse Turístico

     

    Centro Histórico

     

    Viseu

     

    Gastronomia

     

    Rica e variada, a gastronomia tradicional desta região é um dos seus principais atractivos.
    Os sabores da Sopa da Beira ou do Caldo Verde, das Migas à Lagareiro, do Arroz de Carqueja, do Rancho à Moda de Viseu, da Vitela Assada à Moda de Lafões, do Bacalhau ou do Polvo Assados à Lagareiro, do Cabrito Assado, do Arroz de Lampreia, das Trutas do Paiva, do Arroz de Pato, do Presunto, dos Enchidos (morcela, chouriça, farinheira)... fazem a delícia dos apreciadores.

    As variedades de Pão:  pão de mistura, de centeio, brôa de milho acompanham a refeição ou o Queijo da Serra.
    Com base em receitas antigas, o doce pode ser Leite Creme ou Arroz Doce à Moda da Aldeia, Pudim de Requeijão ou de Pão, Papas de Milho, ou uma variedade de bolinhos e pastéis tradicionais “de comer e chorar por mais”: Pastéis de Vouzela, Castanhas de Ovos de Viseu, Pastéis de Feijão do Patronato de Mangualde, Caçoilinhos do Vouga, Beijinhos, Cavacas...

     

     

      PRODUTOS REGIONAIS, VINHOS, RECEITAS

     

     

    Vida Nocturna

     

     

    Mobilidade / Transportes

     

    Alojamento

     

     

     

    Fotos:

     

    Viseu Shopping Mall


    Viseu Shopping Mall

     

    http://paradadegonta.blogs.sapo.pt/arquivo/Jardim%20Tomas%20Ribeiro.Viseu.%20Egreja%20Terceiros%20e%20Tribunal.jpg

     

    Jardim Tomas Ribeiro.Viseu. Egreja Terceiros e Tribunal

     

     

     

    links:

     

    http://www.cm-viseu.pt

     

    http://pt.wikipedia.org/wiki/Viseu

     

    http://www.viseu.tv/

     

    http://www.cidadeviseu.com/

     

    http://fotosviseu.blogspot.com/

     

    http://www.diarioviseu.pt/

     

     

    http://maps.google.com/

     

     

    http://cidades.home.sapo.pt/beira_alta/viseu/

     

     

     

    S. miguel Acores







    São Miguel é a maior das ilhas do arquipélago dos Açores. Com uma superfície de 746,82 km², mede 90 quilómetros de comprimento e de 8-15 km de largura e conta com uma população de 131 609 habitantes (2001), mais 4,5% que uma década antes. É composta pelos concelhos de Lagoa, Nordeste, Ponta Delgada, Povoação, Ribeira Grande e Vila Franca do Campo. Designada por Ilha Verde, aquando da sua descoberta por volta de 1426/1439, começou a ser povoada (por cerca de 1440) por portugueses e por judeus, mouros e franceses.

    A tão aludida Lagoa das Sete Cidades, com as suas duas lagoas - azul e verde - limitadas por uma caldeira, o ilhéu de Vila Franca, reserva natural, assim como o Vale das Furnas, com as suas fumarolas, de águas e lamas quentes e medicinais, são apenas alguns exemplos dos inúmeros pontos atractivos que São Miguel apresenta.

    O sector primário constitui a principal actividade económica da ilha, sobretudo a área agrícola. Lagoa, Nordeste, Ponta Delgada, Povoação, Ribeira Grande e Vila Franca do Campo são os concelhos da ilha. O natural ou habitante da ilha de São Miguel denomina-se micaelense.

    São Miguel é também conhecida como ilha Verde, devido às suas pastagens infinitas.

    Os pontos de interesse turístico são variados. O Vale das Furnas, o verdadeiro ex-libris da ilha tem uma visão paradisíaca com o vapor das caldeiras, a água a ferver que se mistura e envolve com a beleza da lagoa. É um cenário difícil de descrever.

    Um dos pontos de interesse da ilha é a Lagoa do Fogo, que se situa na Serra de Água de Pau, bem como a Lagoa do Congro, localizada a poucos quilômetros da Vila Franca do Campo.

    A Lagoa das Sete Cidades é a outra das três grandes lagoas da ilha. Com uma cratera de grandes dimensões, está divida em duas partes, chamadas respectivamente de azul e verde.

    Na zona Este da ilha, fica o Pico da Vara - a maior elevação da ilha - com 1103 metros de altitude. Na zona central, a serra de Água de Pau com 940 metros de altura e na zona Oeste situa-se a Caldeira das Sete Cidades com 850 metros de altitude.

    Nas suas férteis terras são produzidos cereais, chá, fruta e vinho e alimentam o gado bovino.

    A primeira capital da ilha foi Vila Franca do Campo, que veio a ser arrasada por um sismo em 1522, altura em que foi transferida para Ponta Delgada. Ponta Delgada é uma cidade em constante desenvolvimento, onde se mantêm ainda as suas igrejas e palácios dos séculos XVI e XIX.

    A maior festa religiosa dos Açores é nesta ilha realizada, mais propriamente na cidade de Ponta Delgada, onde acorrem todos os anos milhares de pessoas. São as festas do Senhor Santo Cristo dos Milagres que são realizadas todos os anos no quinto Domingo depois da Páscoa.

    Outra manifestação religiosa desta ilha são os Romeiros. Por altura da Semana Santa, grupos de algumas dezenas de homens percorrem a ilha a pé, durante oito dias, rezando e cantando em todas as Igrejas e Ermidas que se deparam pelo caminho.



    Caloura




    Lagoa das Sete Cidades.













































    lagoa - S. Miguel/Açores